Wolf Guminiak: A ausência do vice-prefeito tem motivado uma série de boatos!

0
881

RESPONSABILIDADES I  –  Com a “grita” dada pelo vereador Bruno Augusto com relação a  seleção e distribuição das casas do programa “Minha Casa Minha Vida” em Frutal, a exemplo do que ocorreu em outras ocasiões, Prefeitura, Promoção Humana e Caixa Econômica estão repassando responsabilidades na seleção dos beneficiados. Inclusive já foi denunciado aqui pela coluna a venda, troca, o aluguel e até mesmo o abandono  das casas que foram entregues, comprovando que em um bom numero de casos houve manipulação na escolha e houve apadrinhamento sim! Na fase da seleção faltou transparência e um critério justo.

RESPONSABILIDADES II – Não é segredo para ninguém que até vereadores tiveram privilégios na indicação para a escolha e que “chegados” da Prefeitura e da Promoção Humana foram beneficiados. O simples fato de que está comprovado que em alguns casos o beneficiado não precisava da casa usando o imóvel para outras finalidades e prejudicando quem realmente precisa, já é um comprovante de que houve “gambiarra” nesta seleção. E depois que todo mundo fez a sua parcela de promoção política em torno da entrega das casas, ninguém quer ser responsabilizado, repassando a solução para a Justiça que nesse caso é de uma morosidade lamentável. Ou então para a Caixa, que é ainda mais morosa.

Reflexão da semana

“Nunca discuta com uma pessoa grosseira. Ele vai levar vantagem por ter experiência em ser estúpida”                                                                                       

                                                                                                             – Mark Twain –

RESPONSABILIDADES III – E agora, vítimas de uma parcialidade incompreensível, aquelas pessoas que foram excluídas vêm as suas esperanças de ter uma casa própria serem sufocadas por conta de interesses escusos e     que passaram anos alimentando o sonho da casa própria. Agora, quando o vereador Bruno Augusto se movimenta em torno da realização de uma CEI para apurar a realidade das coisas, querendo ir atrás do ilícito praticado e punir os responsáveis, todos os órgãos que estiveram envolvidos se cobrem de justificativas absurdas, jurando a mais límpida transparência, transparência essa que não existiu. Estamos vivendo a administração das Bruzundangas Frutal continua sendo a cidade onde o possível é impossível e o impossível é praticado a plena luz do dia, sem que alguém seja responsabilizado. A falta de gestão é gritante!

RESPONSABILIDADES IV – Está certo o vereador Bruno Augusto ao se movimentar em torna da realização de uma CEI para apurar responsabilidades e que, pelo menos, uma vez se faça justiça em nome daqueles que foram prejudicados. Todavia o vereador terá que enfrentar sérios obstáculos e uma ferrenha obstrução pois haverá gente que terá que “cortar a própria carne” e isso em período pre eleitoral não seria muito conveniente. Em Frutal já se tornou lugar-comum “amordaçar” quem esteja em busca da solução para aqueles que não têm  acesso à  mídia e muito menos o meio adequado de se manifestar ou de protestar. Denúncias em torno da manipulação do programa “Minha Casa Minha Vida” e possíveis irregularidades não faltam. Só que às vezes as pessoas têm medo de “colocar a boca no trombone”. No mínimo pode se parabenizar a proposta do vereador. Se vai se transformar em uma realidade, aí já são “outros quinhentos”.

RESPONSABILIDADE V –  Ao ver a movimentação do vereador em torno da questão dos problemas em torno do programa “minha Casa Minha Vida”, ( aliás não é de hoje que se denuncia favorecimentos ilícitos por parte da Promoção Humana) depois do “leite derramado” a Prefeitura correu para fazer um levantamento nos conjuntos habitacionais e segundo ela existem mais de 200 casas em condição irregular. Este é, sem dúvida, o típico procedimento de quem quer esconder o sol com a peneira e tirar responsabilidades quanto à seleção feita pela Promoção Humana, para não afetar a administração da  Primeira-Dama do município que é a titular. Mas não foi apenas nessa gestão que se cometeu esses absurdos todavia se leva em consideração aquilo que foi apregoado nesta gestão, onde se anunciou que haveria transparência e uma seleção minuciosa. Pelo visto nada disso existiu uma vez que a seleção estava a cargo da Promoção Humana e nem sempre a cargo da Caixa Econômica que apenas aprovava o que recebia baseado em procedimentos burocráticos. As famílias prejudicadas estão aí para comprovar as irregularidades e que sejam punidos os responsáveis por essa trama. A Prefeitura por sua vez apenas quer explicar o inexplicável. A administração tinha conhecimento de tudo que está sendo supostamente descoberto apenas agora; as irregularidades.

Charge da semana
Charge da semana

CRIMINOSO –  O descarte e tratamento dos resíduos sólidos por empresas contratadas normalmente se constitui na “galinha dos ovos de ouro” dessas firmas. Licitações “dirigidas” e a falta de fiscalização por parte das Prefeituras Municipais, onde alguns ate se locupletam com a situação, têm sido o “tendão de aquiles” das administrações municipais nesta área. Em Frutal a coisa não é diferente e com um destaque: está escandalosamente ruim.

[td_smart_list_end]DENUNCIAS –  Recentes denúncias feitas pela mídia local (102 FM) atestam essa situação quando se verificou que até o lixo hospitalar é descartado de forma irresponsável e perigosa para a saúde pública. Esse lixo, especificamente, conforme mandam as leis nesta área, deve ser incinerado imediatamente após a coleta à parte do lixo comum e não pode ser acumulado em momento algum, para posteriores procedimentos.

PROVIDENCIAS – Como temos uma Secretaria de Saúde leniente diante de quaisquer problemas que afetam a nossa comunidade, isso para não dizer incompetente, uma Secretaria do Meio Ambiente acéfala é preciso que se recorra ao Ministério Público para que aberrações dessa natureza não continuem sendo praticadas e que este tome providências urgentes e enérgicas quanto à coleta e descarte do lixo hospitalar que é uma ameaça para a saúde pública.

BASTA – Já basta que a população tenha que suportar um serviço de coleta de lixo desorganizado, além de pagar o “olho da cara” e de outras situações questionáveis evidenciando a falta de gestão e onde a administração se alvora em propalar “Um Jeito Novo de Construir”. Após a denúncia, certamente as autoridades competentes da administração virão com aquelas celebres desculpas, quando não pedindo paciência por parte da população, fato corriqueiramente evidenciado pelos dirigentes das Secretarias, as mais diversas. Tudo é postergado….nenhuma providência real.

CÂMARA –  Para infelicidade do frutalense, temos uma Câmara Municipal “bovinamente comandada pelo Executivo” e se assim não fosse os nossos nobres vereadores, que alegam estar em contato constante com a comunidade, já teriam descoberto a questão do lixo hospitalar e teriam denunciado o fato  ao Ministério Público. Há de se convir que apenas uma minoria dos representantes do povo é que se interessa realmente pelos problemas da comunidade, mas que é sufocada dentro da Casa de Leis pela maioria que obedece a outras determinações. Afinal, não são todos eles representantes da população que os elegeu? O eleitor frutalense já está cansado de “dar murro em ponta de faca”.

QUEM SABE ? –  A ausência do vice-prefeito nos últimos dias tem motivado uma série de boatos e até charges a respeito. São os mais diversificados comentários que vão de acusações até as críticas cômicas. Para se ter uma ideia do quanto o assunto está quente, basta dizer que o vereador Carlos Roberto encaminhou requerimento à presidência da Câmara Municipal requerendo parecer jurídico sobre a ausência do Vice Prefeito do Municipio de Frutal. Como justificativa do seu requerimento o vereador alegou que estava sendo insistentemente sendo questionado na comunidade a respeito do assunto e não tinha um posicionamento oficial para responder a questão. O povo aumenta, mas não inventa!

NOVIDADE –  Tudo indica que está surgindo uma nova liderança e que está se preparando para disputar as próximas eleições com vistas à escolha de um novo prefeito. Trata-se do jovem Caio Heitor e nos próximos dias iniciará uma campanha intitulada de “ Ouvir para Melhorar”. Esta campanha consiste em visitar porta a porta  10 mil residências dos diferentes bairros da cidade, para fazer um levantamento junto ao eleitorado das demandas prioritárias a serem atendidas e que certamente deverão ser priorizadas durante um possível mandato. Caio Heitor pretende praticar a verdadeira campanha do “corpo a corpo” não pretendendo se limitar apenas  aos “palanques” durante a campanha eleitoral. Segundo Caio Heitor, “ é preciso que se passe uma borracha nos últimos 25 anos quando Frutal esteve  estagnado politicamente  e nada de novo foi colocado em prática. Pelo visto Caio Heitor representa um novo horizonte na gestão municipal que nos últimos anos esteve vitimada pela mesmice.” A campanha “Ouvir para melhorar” deverá estar concluída até o dia 15 de agosto próximo.

ECONOMIA  – Dos cerca de 400 cargos comissionados na atual administração Caio Heitor pretende reduzir a metade e o Secretariado também será reduzido em 50%. Apenas essa medida representaria uma economia de 71 milhões de reais durante os quatro anos de mandato. O plano de trabalho do jovem pre candidato se apoia em três itens considerados como prioritários: solucionar o gargalo da Saúde, geração de empregos e segurança pública. Não é preciso ser um gênio na matemática e em gestão pública para se concluir que a atual Prefeitura está passando por “suposta crise” por causa de gastos indevidos e desnecessários, quando não, duvidosos. O gargalo econômico, atribuído à crise no País nada mais é do que a falta de uma gestão comprometida com a comunidade frutalense em paralelo com o apadrinhamento indevido. É preciso sangue jovem e com ambição de fazer uma gestão condigna.

COM URGÊNCIA – Torna-se imperativo que providências precisam ser tomadas em relação ao aterro sanitário(nada mais que um lixão a céu aberto). Que se abra uma investigação a respeito da atuação da Quebec, que se recorra ao Ministério Público ( responsável também pela saúde pública) ou qualquer outro procedimento legal para se verificar porque a citada empresa recebe elevados recursos do município ( segundo se afirma são R$ 300.000,00 ) e o retorno é praticamente zero. Corre inclusive o boato de que  a Quebec é constituída por “laranjas” e que têm apenas um único objetivo: locupletarem-se. Não apenas uma vez que políticos anunciaram recursos homéricos para a solução do aterro sanitário e nada foi feito. Temos uma Secretaria do Meio Ambiente acéfala  a quem caberia a responsabilidade de fiscalizar e correr atrás de recursos que realmente poderiam solucionar o crime ambiental que está sendo praticado e todos fazem vista grossa em relação ao problema. Com a palavra o Ministério Público que nesse caso representa a “tábua de salvação” da população que corre sérios riscos. Com relação à QUEBEC “algo continua podre no reino da Dinamarca”.

PERGUNTAR NÃO OFENDE

### – SERÁ QUE A PREFEITURA JÁ TERIA SE EXPLICADO QUANTO AO CASO DO DR. ZANTO NO HOSPITAL FREI GABRIEL? QUAL TERIA SIDO A DESCULPA PARA TAMANHA OMISSÃO? E QUAIS AS PROVIDENCIAS TOMADAS PELA PROMOTORA QUE INCLUSIVE RECEBEU UMA MANIFESTAÇÃO DA OUVIDORIA DO MINISTERIO PÚBLICO DE MINAS GERAIS?

### – QUAL SERIA A JUSTIFICATIVA DA PREFEITURA EM RELAÇÃO AO ESTADO EM QUE SE ENCONTRA O ATERRO SANITÁRIO? SERIA A MESMA LENGA-LENGA QUE OCORREU COM O LIXO HOSPITALAR?

### – QUEM, EM SÃ CONSCIENCIA, ACREDITA QUE A PREFEITURA NÃO SABIA DAS IRREGULARIDADES CONSTATADAS NO PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA EM FRUTAL E QUE AGORA FEZ UMA INVESTIGAÇÃO PARA CONSTATAR O FATO? E SERÁ QUE FORAM APENAS DUZENTAS E POUCAS CASAS MESMO? E AGORA, A CULPA VAI SER NOVAMENTE  SÓ DA CAIXA ECONÔMICA? QUAL SERIA A PARTICIPAÇÃO DA PROMOÇÃO HUMANA NESSE EMBRÓGLIO?

### – QUAIS TERIAM SIDO OS MOTIVOS QUE LEVARAM O VEREADOR CARLOS ROBERTO REQUERER PARECER JURIDICO SOBRE A AUSÊNCIA DO VICE PREFEITO DO MUNICIPIO DE FRUTAL? E O REQUERIMENTO FOI ATENDIDO?

### – O DEPUTADO ARNALDO SILVA JÁ TERIA RECEBIDO O CRONOGRAMA DE TRABALHO VISANDO SOLUCIONAR A QUESTÃO DA SAUDE E EM PARTICULAR  O PROBLEMA DO FREI GABRIEL? O PRAZO PARA TAL NÃO ERA DE TRINTA DIAS? E QUAL SERIA O INTERESSE DA PREFEITURA E DA SECRETARIA DE SAUDE  EM QUE SE FAÇA A REGIONALIZAÇÃO DO HOSPITAL? VAI BEM, OBRIGADO?

### – POR QUE ATÉ HOJE A CÂMARA MUNICIPAL CONTINUA SEM INTERNET DEIXANDO OS INTERNAUTAS A “VER NAVIOS”? EXISTIRIA UMA EXPLICAÇÃO PLAUSÍVEL POR PARTE DA MESA DIRETORA DA CASA? OU……

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here