Representantes das APAEs estiveram, nessa segunda-feira (9/10), em uma audiência pública na Assembleia Legislativa (ALMG) para reclamarem dos atrasos recorrentes que o Governo de Minas tem tido com essas associações, principalmente em relação ao Programa Casa Lar. O pagamento é quadrimestral e o último, que deveria ser realizado em agosto, está sendo creditado nessa terça (10/10), dois meses depois.

Para o deputado estadual Arnaldo Silva, o que está ocorrendo é uma ausência de planejamento do Governo de Minas em relação às prioridades. “Talvez seja mais sincero e transparente que se tenha com clareza qual a relação do Governo de Minas com as Apaes. Essa entidade realiza um trabalho de muita dedicação e desprendimento, numa função que seria do Estado. Sem recursos, o serviço fica comprometido”, explicou Arnaldo, que também é vice-presidente da Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência da ALMG.

O deputado sugeriu que o Governo de Minas saia do gabinete e visite uma APAE. “Vão lá entender como funciona a entidade, o dia a dia, a prestação do serviço que é feito lá dentro. Talvez assim, possam entender a gravidade do problema que está sendo tratado aqui”.

ABRIGO – A Casa Lar existe desde 1997, e é um serviço realizado por 28 APAEs mineiras, em um termo de colaboração com a Secretaria de Estado de Trabalho e Desenvolvimento Social (Sedese). O programa abriga pessoas com deficiência intelectual, que viviam na antiga Febem. A maior parte deles já perdeu o vínculo familiar.

Segundo a presidente da APAE-BH, Judith Maria Magalhães, o custo per capta mensal é de quase R$2.500,00 e o Estado repassa R$1.500,00 por abrigado da Casa Lar. “Além de estar defasado, estamos sofrendo sérios atrasos. Nós lidamos com vidas. Eles estão envelhecendo, precisam de remédios e não encontramos os medicamentos nas farmácias públicas. Um descaso absoluto”, desabafou.

VISITA – Para evitar que esse problema ocorra em dezembro, os deputados da comissão fizeram um requerimento solicitando uma visita à secretária estadual de Desenvolvimento Social, Rosilene Rocha. Eles querem discutir medidas que possam ser adotadas a curto prazo. A comissão também vai realizar uma audiência pública para tratar da situação das Casas Lares de Minas Gerais.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here