As Redes sociais do Ódio de Cada Dia

Surpreende-me o uso grotesco de uma ferramenta de comunicação tão originariamente bela, surgida entre cientistas para a troca de ideias entre eles e, com isso, o avanço em suas pesquisas e consequente melhoria para todos.

0
792

Dias destes, em momentos distintos, falava com meus amigos Edilson Luiz e Portari sobre o desvirtuamento do uso da internet no tempo do hoje.

Surpreende-me o uso grotesco de uma ferramenta de comunicação tão originariamente bela, surgida entre cientistas para a troca de ideias entre eles e, com isso, o avanço em suas pesquisas e consequente melhoria para todos.

Fico me perguntando o   que leva as pessoas a valorizar tanto um mundo irreal a ponto de suicidarem (Jogo da baleia azul) ? Fico intrigado com o espantador espetáculo bufão de um cidadão raivoso, quase que espumando a boca, espancando o próprio rosto para atacar outra pessoa e, logo depois, quando o seu ponto de vista se mostrou falso ele, simplesmente, se calar e correr da própria fala! Fico mais intrigado ainda com a falsa coragem e inconsequência das pessoas nas redes sociais, destilando veneno e mentiras a granel. É, realmente, algo a se refletir.

O Pensador Umberto Eco, em um dos seus últimos trabalhos já disse que a internet igualou a preparada e cuidadosa fala de um Prêmio Nobel com a de um idiota cavalgando o seu próprio ponto de vista. Sim. Agora todos têm voz, porém, nem todos têm ou sabem o que dizer….

Nesse tempo de pura vaidade, muitos utilizam-se das redes sociais para se postarem como “salvadores da pátria”, para se apresentarem como os “sempre corretos de plantão” a dar pitacos (sempre de longe, nunca frente a frente), a desabar críticas e mais críticas sem agirem em prol da solução, “ativistas de sofá” que são. E, encorajados pela legião de ódio que as redes sociais destilam, sentem-se legitimados pelo ódio, acolhidos pelo ódio e fazem do ódio o fundamento central do seu limitado de horizontes modo de viver.

E, como já disse Umberto Eco acima citado, de idiota e idiotices a internet caminha, atropela, destrói, salvante as cada vez mais raras exceções.

Há que se refletir….

*Advogado Renato de Oliveira Furtado

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here