Em Minas Gerais existem 27.241 vagas de emprego abertas para pessoas com deficiência. De acordo com os órgãos competentes, essas vagas não são preenchidas por falta de qualificação. Na tentativa de solucionar esse problema, a Comissão de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência da Assembleia Legislativa (ALMG) se reuniu, nesta terça-feira (19/9), com autoridades do setor.

 

Para o vice-presidente da comissão, deputado estadual Arnaldo Silva (PR), ações integradas podem viabilizar a queda desse número e aumentar a colocação dessas pessoas no mercado de trabalho. “Precisamos reunir todos os atores envolvidos neste processo: empresas, Estado, entidades do Terceiro Setor. A disposição existe, mas falta essa parceria. Juntos, podemos conseguir a capacitação necessária, porque as pessoas com deficiência querem trabalhar”, disse Arnaldo.

 

De acordo com o superintendente Regional do Trabalho em Minas Gerais, João Carlos Gontijo de Amorim, existem 2.937 empresas em Minas Gerais que têm que disponibilizar vagas para pessoas com deficiência. Desse total, apenas 930 conseguiram preencher 100% dessa cota. “A baixa escolaridade e a falta de qualificação profissional são apontadas como as principais causas da não contratação”, informou.

 

O deputado Arnaldo apontou a necessidade em se criar um cadastro dessas vagas de emprego para maior transparência do processo pela sociedade. Outra sugestão do parlamentar foi a realização permanente de Fóruns sobre a inclusão social e o mercado de trabalho, além de cursos específicos de capacitação voltados para pessoas com deficiência.

 

QUALIFICAÇÃO – O subsecretário de Estado de Trabalho e Emprego, Antônio Roberto Lambertucci, afirmou que a secretaria está lançando o curso de libras para os atendentes do SINE (Sistema Nacional de Emprego). “A nossa intenção é facilitar a comunicação das pessoas com deficiência na procura por emprego”.

 

O secretário municipal Adjunto de Trabalho e Emprego de Belo Horizonte, Bruno Miranda, disse que a prefeitura está abrindo 830 vagas para cursos de qualificação para as pessoas com deficiência da capital mineira. Os atendentes do Sine de BH também estão passando por capacitação para melhor recepcionar os candidatos com deficiência.

 

A Comissão de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência realizará uma nova reunião para avançar nas proposições debatidas. “Esse é um assunto que temos defendido muito e vamos continuar lutando até vermos as pessoas com deficiência incluídas no mercado de trabalho”, concluiu Arnaldo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here