Ao longo dos anos desde a feitura do concurso público pela administração da ex-prefeita Maria Cecília (Ciça), passando por todo o processo de denúncia de fraude, apuração do Ministério Público, oferta de denúncia desse órgão à Justiça até sua conclusão em suas duas instâncias, o Alô Frutal acompanhou de perto passo-a-passo, decisão por decisão.

Acompanhamos de perto  toda a angústia das pessoas que prestaram o concurso e tiveram que ver seus cargos serem retirados graças a má gestão desse processo; perderam tempo, dinheiro e um futuro promissor como concursados em uma das carreiras mais concorridas do município.

Alô Frutal também acompanhou e noticiou os desdobramentos da anulação desse concurso como, por exemplo, a execução de um novo, dessa vez, muito bem gerido pelo atual prefeito, Mauri Alves, e supervisionado bem de perto pelo Ministério Público.

É bom citar ainda que acompanhamos o grande prejuízo causado pela “fraude” desse primeiro concurso aos cofres públicos que somam milhões de reais.

Pós isso, tivemos as complicações jurídicas que, mais cedo ou tarde, viriam, e vieram, culminando com processo  eleitoral onde Maria Cecília (Ciça) tentou registrar sua candidatura e teve seu pedido negado pela Justiça Eleitoral da Comarca de Frutal.

Ao longo desse processo, nós do Alô Frutal, como órgão de imprensa dessa cidade, registramos e divulgamos todo esse processo: tudo muito bem fundamento e baseado sempre na verdade dos fatos.

O Alô Frutal, por mais de uma dezena de vezes, foi taxado de “mentiroso” e oposicionista. Tal afirmação não se baseia na verdade absoluta dos fatos. Cada reportagem feita a respeito desse assunto, sempre foi baseada em decisões dos órgãos judiciais.

Não por uma única vez, em nossos Editoriais, ou mesmo por nossos colunistas que tem opinião própria independente da nossa linha Editorial,  foi expressa que em virtude dessa condenação, tendo Ciça prosseguido com sua candidatura, seus votos apareceriam como “nulos ou anulados”.

Tal fato foi amplamente divulgado pelo Alô Frutal e também por parte dos órgãos de imprensa da cidade, e aqui cabe fazer justiça ao Blog do Portari, Jornal Correio da Região e Radio 102 Fm, que também informaram tal situação. Da mesma forma, todos esses órgãos foram taxados de mentirosos pelo staff de campanha de Ciça e seus advogados.

No final das contas, a verdade obrigou a candidata a esconder seu principal advogado, Marco Aurélio Rodrigues que ficou com a imagem desgastada durante esse processo,  e outro de Belo Horizonte assumiu seu lugar nos holofotes da mídia. Afinal de contas, não há como esconder a verdade por todo o tempo.

Mas no final de tudo isso a verdade esteve com quem sempre a respeitou e os votos dessa candidatura não foram computados e o imbróglio se arrastará na justiça de Belo Horizonte, bem da forma como foi divulgado aqui.  Agora, o processo em Belo horizonte é outra questão, e assim como fora feita quando ainda se arrastava em primeira instância, aguardaremos os passos dados do Tribunal de Justiça para que possamos informar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here