Todo cuidado é pouco quando se trata do inverno, já que nesse período segundo os especialistas, os casos de enfarto podem aumentar em até 30%. Em Frutal, segundo o cardiologista que atende no Hospital Frei Gabriel, Cacildo Queiroz, nos últimos dias, já foram registrados alguns casos da doença, assim como também atendimentos relacionados ao Acidente Vascular Cerebral (AVC).

Cacildo Queiroz explica que o enfarto pode ocorrer por três motivos: elevação das infecções respiratórias, contração dos vasos sanguíneos e maior produção de substâncias que favorecem a formação de coágulos pelo fígado. Ainda segundo o médico, pessoas com doenças cardíacas, diabetes, ou hipertensão já correm um risco aumentado e, por isso, precisam se proteger mais do frio e evitar os grandes contrastes de temperatura.

Ele explica que o enfarto é o entupimento da artéria que irriga o coração. Quando ele ocorre, falta sangue no músculo do coração, o que provoca uma lesão isquêmica aguda e a área afetada acaba “morrendo”. “Dependendo da extensão da lesão, o paciente às vezes consegue se salvar, caso contrário, a pessoa pode ter uma morte súbita”, observa. Ainda segundo o médico, os principais fatores de risco são hipertensão arterial, tabagismo, colesterol alto, obesidade e sedentarismo. No caso das pessoas mais jovens, o enfarto agudo, segundo Cacildo, algumas vezes pode estar relacionado ao uso de drogas. “A maioria das doenças dá sinal e o enfarto quase sempre é uma dor intensa no tórax”, lembra.

Em relação aos idosos, o médico observa que a atenção deve ser maior. Isto porque, conforme explica, devido ao processo de envelhecimento, os vasos sangüíneos endurecem e quando eles contraem demoram mais tempo para voltarem ao normal. “Por isso, recomendamos sempre que o ideal é a avaliação periódica com o médico que vai ajudar a controlar os fatores de risco e evitar o enfarto agudo”, finaliza.

(Zilma de Oliveira – Assessora de Imprensa IBRAPP/HFG).

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here