Professor, José Luiz de Paula e Silva é palestrante e escritor. É autor do volume de crônicas "E o tempo sorria". Docente na FAF-Faculdade Frutal. Conselheiro Fiscal do Sicoob Frutal. Colunista de jornais impressos e sites de notícias. Apresentou o quadro Travessia, na 102 FM de Frutal (MG). Atuou como secretário municipal de educação da cidade de Frutal (MG), do período de 2005 a 2016. Para entrar em contato, escreva para professorjoseluizdepaula@gmail.com

A vida é uma dádiva que cada um recebe e faz dela um enredo pleno de histórias intensas. A vida não se resume no nascimento e na morte. Estes são momentos singulares, solitários, pois ninguém os vive por você, porém não são o mais importante. Vida é o espaço entre estes dois eventos. Não se escolhe nascer, nem se escolhe quando morrer. Mas, podemos escolher como viver. A vida, então, é o intervalo entre o nascimento e a morte. Tratemos de viver bem este intervalo.

Usamos o termo vida para várias expressões: vida de cão, vida bandida, vida louca, vida eterna, vida social, vida pública, vida boa. Qual destes termos se encaixa melhor com a sua vida? A vida é uma só. Portanto é bom que se viva como se fosse este o ultimo dia, independente de sua idade, em que estação da vida esteja. Se acordou vivo é porque tem vida pra ser vivida.

Uns preferem deixar que a vida os leve (deixa a vida me levar…); outros tem domínio, tentam manter a vida sob rédeas firmes. Há de ter um equilíbrio entre deixar a vida desenrolar de qualquer jeito e tentar guia-la como se estivesse seguindo um manual de instruções.  Temos de adotar certa leveza, levar a vida menos a sério, manter um certo arejamento no jeito de ser e de viver. Porém, é preciso que façamos as coisas com capricho, com desejo de acertar, com a intenção de fazer o melhor e se dedicar para isso. Ter um mínimo de planejamento, saber onde quer chegar e como chegar. Por mais que pensemos ter domínio completo sobre nossas vidas, somos meros comandantes de uma embarcação que enfrenta os mares e às vezes tem de mudar a rota, direcionar o leme para outras direções, pois o balanço do mar é imprevisível. Não dá para adivinhar o tamanho das ondas, nem mensurar a velocidade dos ventos. Tudo parece tranquilo e, de repente, surge algo que não estava no script, dentro dos planos, e você precisa se adaptar às novas circunstâncias, traçar novas estratégias, sobreviver. Uma doença, um acidente, a morte que chega, um filho que vem, um emprego que vai, uma oportunidade que surge.  Pessoas também surgem em nossas vidas e alteram o sentido das mesmas. Novas composições se formam a partir da chegada de gente nova, no sentido da novidade. Da mesma forma que umas se achegam, outra se vão. E assim, segue a dinâmica da existência.

A vida é tal qual a subida de uma montanha. Chegar ao topo é uma sensação maravilhosa, mas os percalços da escalada é que fazem valer a pena a subida. Não adianta ir até a metade da montanha e parar por ali. Queremos fincar nossa bandeira no topo da montanha, pois é lá nosso lugar. Tem hora que a vida vem e aplica duros golpes, nos põe no chão, na lona. E há golpes muito difíceis de serem assimilados, nos fazem sofrer, nos levam às lágrimas. Mas, aí reside a grande força do lutador, de quem consegue superar as atribulações e, até mesmo se superar. Levanta e prossegue a lutar. Ninguém tem uma vida perfeita, cheia de plácidas nuvens, de mansidão e aragem sem fim. A vida tem percalços, tem queda, tem dor. Mas, também tem alegria, tem coisa boa para se alegrar. E é na simplicidade das coisas que reside a verdadeira beleza. Eu já disse um dia que a vida é boa porque tem biscoito frito, tem rede para balançar, tem coador de pano, tem chão pra pisar. Tem o beijo da pessoa amada, tem o sorriso dos filhos, tem tanta coisa para celebrar. A gente vive se apegando a coisinhas miúdas que ficam a destruir nossa mente, inunda nossos pensamentos e nos faz mais tristes. Crie meios de anular isso da sua vida. Ao invés de desperdiçar tempo precioso em ficar pensando nestas nulidades, dedique seu tempo a amar mais quem merece seu amor, a dar mais atenção às coisas que definitivamente merecem sua atenção.

“A vida tem sons, que pra gente ouvir precisa aprender a começar de novo. É como tocar o mesmo violão e nele compor uma nova canção”. Então, vamos lá. Não perca tempo, dê chances para que as coisas possam acontecer. Certamente haverá de compreender que há pessoas que simplesmente passam, há outras que marcam, há outras que se tornam a sua própria vida. Feito bicicleta, a vida só mantem o equilíbrio quando está em movimento. Por isso, não pare jamais. Não desista nunca, não esmoreça, nem entregue os pontos.

É isso aí!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here