Um caso de suposta agressão à uma criança que teria ocorrido na creche Simpliciano do bairro Jardim do Bosque tem gerado enormes discussões nas redes sociais e nas ruas cidade. A situação foi denunciada pelo jornalista Alex Freitas, do jornal Correio da Região.

Segundo a denúncia da mãe, seu filho apareceu em casa com alguns hematomas pelo corpo. Questionada pela mãe, a criança teria afirmado que tal agressão partiu de uma professora. A mãe da criança, ao jornalista, disse que seu filho ainda teria sido coagido a dizer que a agressão teria partido de um colega do local. “Meu filho me contou a verdade, e eu consegui conversar com o coleguinha da sala dele, que também negou tudo. E a todo momento a direção da escola sempre ficou do lado da versão da professora, desmentindo as crianças”.

Consternada com a situação, a mãe registrou um Boletim de Ocorrência na Delegacia. Um exame de corpo de delito também foi feito na criança.

Ela relata ainda que quando retornou à creche para buscar os pertences de seu filho, na semana passada, teria sido informada sobre a confecção de uma Ata escolar que teria sido lavrada após a realização de uma reunião onde a mãe da criança teria que assinar, mesmo não tendo participado de tal reunião. Ela negou assinar tal documento.

“Fizeram uma reunião, que segundo as servidoras da Creche foi coordenada pela secretária de Educação do município, a Gabriela, e nessa reunião eles decidiram que meu filho estava mentindo, e querem também me desmoralizar. Como fizeram essa reunião e montaram uma ata sem minha presença? Não assinei a ata, e vou até as últimas consequências, pois nesse caso, a vítima dessa situação toda é meu filho, e eles tentam reverter tudo somente para preservar a imagem da instituição. Isso é um absurdo”.

Veja nota da Secretaria de Educação sobre o caso

A Secretaria de Educação considera grave as acusações proferidas pela responsável pela postagem na internet, uma vez que conclusões precipitadas e divulgadas em rede pública podem gerar consequências sérias e muitas vezes irreversíveis. Assim que tomou conhecimento, a secretária Gabriela Ferreira de Mello Borges foi até a instituição relatada para fazer uma verificação in loco.

Pais, professores e a diretora da instituição se reuniram nesta sexta-feira (6) para apurar o ocorrido, o que ficou constatado, inclusive registrado por meio de ata, que a criança havia sido agredida por outro coleguinha de sala.

A secretaria de Educação lamenta muito o ocorrido, reforça que não tolera qualquer comportamento dessa natureza e ainda considera que tão grave quanto, propagar conclusões precipitadas, que podem colocar em risco a integridade das pessoas, suas carreiras e as imagens das profissionais e das instituições envolvidas.

Por fim, a secretaria de Educação se coloca à disposição de que qualquer pai, mãe ou responsável por alunos da rede municipal para discutir, ouvir, debater ou registrar denúncias sobre comportamento inadequado dos profissionais dessa pasta.

Gabriela Ferreira de Mello Borges, Secretária de Educação

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here