Serenar | por José Luiz de Paula

Passamos por tantas perturbações, tantas atribulações, e é preciso serenidade para atravessar esse mar revolto e sobreviver, chegar vivo em terra firme. As coisas quase nunca são como gostaríamos que fossem.

0
1476

Serenidade vem do latim serenitas, qualidade do que é sereno, e um termo definido de varias maneiras: a calma, o sossego, e tranquilidade, a paz da mente, o equilíbrio emocional, o estado não perturbado, o controle da emoção nas horas certas e o domínio de si. É “a capacidade de viver em paz com os problemas que ainda não foram resolvidos, sanados”. É compreender o outro com espirito de paz, mansidão, quietude. A pessoa serena não é omissa, indiferente aos problemas. Ela os enfrenta de maneira que tenha a capacidade de reflexão e poder de decisão para resolver. Na turbulência, não se perde em uma mente desesperada diante da dificuldade, pois sabe que assim a solução se esconde, desaparece.

Passamos por tantas perturbações, tantas atribulações, e é preciso serenidade para atravessar esse mar revolto e sobreviver, chegar vivo em terra firme. As coisas quase nunca são como gostaríamos que fossem. Há frustração, decepção, tanta coisa negativa que nos impele pra baixo, teima em querer nos derrubar, faz-nos sentir pequenos e fracos.  Reconhecer que diante de certas situações não há o que fazer, é aceitação, é evolução, não comodismo.

O sereno, toda noite, cai tranquilo, suave, sabe sua hora de começar e de parar. Muitos julgam que o ser sereno é quieto demais, parado demais. A verdadeira serenidade não é ausência de paixão, mas uma paixão que sabe seu tamanho e seu poder, tem o ímpeto domado, sob seu controle e suas rédeas.

No afã de tomar posições, julgamos com muita pressa e chegamos a conclusões precipitadas, que vão de acordo com nossos olhares poluídos, muitas vezes, pelos preconceitos que já fincaram raízes no coração. Vivemos a apontar os dedos, a sermos juízes implacáveis de tudo e de todos. Condenamos severamente sem olhar para si antes de qualquer sentença. A serenidade nos convida a refletir, a ponderar, a esperar, a observar e analisar melhor tudo o que nos cerca. Controlar essa ansiedade pungente é emergencial.

Somos ansiosos, preocupados demais. Isso gera estresse, prejudica a saúde, traz sofrimento. Uma coisa é certa: não conseguiremos resolver tudo de uma vez. É preciso, então, serenidade para ir trabalhando na solução, uma coisa de cada vez, passo a passo. E só se resolve um problema atado à mão de alguém. Assim, tratar bem o semelhante também é sinal de maturidade. “Concedei-nos, senhor, a serenidade necessária para aceitar as coisas que não podemos modificar, coragem para modificar aquelas que podemos, e sabedoria para distinguir umas das outras.”

É isso aí!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here