Farol

Minas Gerais está entre os treze estados em colapso por leitos de UTI

Maior espera por UTI está no Paraná, onde a taxa de ocupação é de 96%

Por João Cerino em 03/06/2021 às 12:27:12

Mario Tama/Getty Images

Com o agravamento atual da pandemia, ao menos treze estados brasileiros e o Distrito Federal enfrentam escassez de leitos UTI e filas crescentes por essas vagas em hospitais. S√£o eles: Cear√°, Goi√°s, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Paran√°, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Sergipe e Tocantins. S√£o Paulo tem filas por UTI em alguns municípios, mas o governo Jo√£o Doria diz n√£o saber precisar o tamanho da fila estadual porque o sistema é descentralizado. Piauí e Maranh√£o n√£o responderam aos pedidos de informa√ß√£o.

No Rio Grande do Sul, a fila praticamente triplicou em maio, de 23 em 04/05 para 58 em 31/05. No Rio Grande do Norte, a lista tinha 93 pessoas, a maioria formada por n√£o idosos. No Rio de Janeiro, o número passou de 49 pacientes em 13/05 para 93 em 31/05.

A maior espera por UTI est√° no Paran√°, onde a taxa de ocupa√ß√£o das UTI é de 96% e a fila por uma vaga quadruplicou em maio.

Em seu balan√ßo semanal mais recente, a Funda√ß√£o Oswaldo Cruz aponta que foram registradas 2,1 milh√Ķes de interna√ß√Ķes hospitalares desde o início de 2020 por casos suspeitos ou confirmados de Covid-19. A tend√™ncia atual, segundo a Fiocruz, é de piora no país como um todo. Apenas 5 das 27 unidades da federa√ß√£o n√£o t√™m regi√Ķes com tend√™ncia de aumento das interna√ß√Ķes, que s√£o Acre, Amap√°, Rondônia, Roraima e Sergipe.

Para a Fiocruz, as medidas de distanciamento social foram flexibilizadas por governantes antes que a pandemia estivesse sob controle. "Tais estimativas refor√ßam a import√Ęncia da cautela em rela√ß√£o a medidas de flexibiliza√ß√£o das recomenda√ß√Ķes de distanciamento para redu√ß√£o da transmiss√£o da Covid-19 enquanto a tend√™ncia de queda n√£o tiver sido mantida por tempo suficiente para que o número de novos casos atinja valores significativamente baixos", afirma a Fiocruz.

No caso das capitais, 13 t√™m sinais de agravamento da pandemia: Curitiba, Campo Grande, Cuiab√°, Fortaleza, Goi√Ęnia, Jo√£o Pessoa, Maceió, Manaus, Palmas, Porto Alegre, Salvador, S√£o Paulo e Vitória. Em outras dez capitais, as interna√ß√Ķes pararam de cair.

Para a Fiocruz, esse cen√°rio de piora ou fim da melhora na maioria das capitais "pode ser associado à retomada das atividades de maneira precoce" e essa situa√ß√£o "manter√° o número de hospitaliza√ß√Ķes e óbitos em patamares altos, com tend√™ncia de agravamento nas próximas semanas caso n√£o haja nova mobiliza√ß√£o por parte das autoridades e popula√ß√£o locais".

Fonte: Matheus Magenta - BBC News Brasil em Londres

Comunicar erro
Revista Atual