Terceira dose contra a Covid-19 começa em setembro

Inicialmente, Minas Gerais vai atender idosos acima de 80 anos e pessoas imunossuprimidas com a terceira dose

Por João Cerino em 27/08/2021 às 12:30:00

Imagem - Fábio Marchetto / SES-MG

A aplicação da dose de reforço contra a Covid-19 começa ainda em setembro, segundo afirmação do secretário estadual de Saúde, médico Fábio Baccheretti. Ele informou que Minas Gerais vai começar, neste mês de setembro, a aplicação da dose de reforço da vacina contra a Covid-19 e o esquema vacinal será feito com um imunizante diferente do que foi administrado anteriormente. Neste primeiro momento, a terceira dose será destinada para a população idosa e de pessoas com baixa imunidade. A nova fase da campanha dependerá do envio de doses por parte do Ministério da Saúde.

O secretário disse que, em reunião realizada com o Ministro da Saúde no dia 25 passado, ficou estabelecida a vacinação de reforço em todo o país. "Daremos início, no próximo mês, à aplicação das doses de reforço nos idosos, acima de 80 anos e pessoas imunossuprimidas. E, depois, vamos avançando para as idades e grupos vacinados a mais tempo." A estratégia vacinal para o reforço, segundo o secretário, deverá usar três plataformas, sendo uma da Coronavac, uma da Pfizer e uma da AstraZeneca ou Janssen. "Quem completou o esquema vacinal com a Coronavac, por exemplo, receberá a terceira dose da Pfizer, Astrazeneca ou Janssen," explicou.

VARIANTE

Na coletiva, Fábio Baccheretti também apresentou os dados de internações e óbitos no estado por causa da Covid-19, além de atualização sobre a variante Delta. Segundo ele, nas últimas semanas foram registrados menos de cem óbitos às quintas-feiras. O dado demonstra uma queda nos casos de internação em decorrência da doença e, consequentemente, no número de mortes. A tendência de queda permanece mesmo com a circulação da variante delta em todas as regiões.

O secretário apontou que a incidência da variante delta vem registrando crescimento nas amostras analisadas e já é considerada de transmissão comunitária em Minas Gerais. "Dentro das duzentas amostras semanais avaliadas, por meio de estudos genômicos, ela já aparece na maior parte delas, ou seja, é a variante predominante no estado. Até o momento, já foram identificados 101 casos de Delta que estão distribuídos, principalmente, nas regiões Centro, Sudeste, Leste do Sul e Noroeste", informou.

O secretário alertou que os cuidados sanitários devem ser mantidos, independente da variante que circula no país. "As medidas de prevenção continuam sendo uso de máscara, manter distanciamento social, realizar frequentemente a higienização das mãos e vacinação com as duas doses. Todas as vacinas se mostraram eficazes com o esquema completo".

Fonte: Agência Minas

Comunicar erro