Farol

PF investiga fraudes no Auxílio Emergencial na Bahia

A Polícia Federal deflagrou nesta quinta-feira, 25 a Operação Parcela Baiana, que tem como alvo o combate a fraudes ao Auxílio Emergencial pago por causa da pandemia de Covid-19

Por João Cerino em 25/11/2021 às 14:36:35

A Pol√≠cia Federal deflagrou nesta quinta-feira (25) a Opera√ß√£o Parcela Baiana, que tem como alvo o combate a fraudes ao Aux√≠lio Emergencial, pago pelo governo federal à popula√ß√£o carente por causa da pandemia de covid-19.

A a√ß√£o é conjunta com o Ministério P√ļblico Federal, Ministério da Cidadania, Caixa, Receita Federal, Controladoria-Geral da Uni√£o e Tribunal de Contas da Uni√£o, institui√ß√Ķes que participam da Estratégia Integrada de Atua√ß√£o contra as Fraudes ao Aux√≠lio Emergencial.

Na manh√£ de hoje, policiais federais cumprem as medidas judiciais em Salvador e em Cora√ß√£o de Maria, também na Bahia. S√£o tr√™s mandados de busca, quatro mandados de afastamento de sigilo banc√°rio e quatro mandados de sequestros de bens, que resultaram em um total de R$ 200 mil bloqueados por determina√ß√£o judicial. As pris√Ķes tempor√°rias n√£o foram deferidas pela Justi√ßa Federal.

Os fatos est√£o sendo apurados em tr√™s inquéritos policiais distintos, instaurados com base em trabalhos de an√°lise e intelig√™ncia realizados por equipe especializada da Pol√≠cia Federal, a partir de processos de contesta√ß√£o oriundos da Caixa Econômica Federal.

"No aplicativo Caixa Tem da Caixa Econômica Federal, aproximadamente 90 contas do Aux√≠lio Emergencial foram fraudadas, sendo transferidos imediatamente os valores depositados para contas vinculadas aos fraudadores e também para pagamentos de boletos banc√°rios emitidos pelos próprios suspeitos, resultando em um preju√≠zo superior a R$ 90 mil", informou a PF em nota.

Segundo as autoridades, a fraude deve ser muito maior, na medida em que os dados se referem a curtos per√≠odos analisados, de no m√°ximo 14 dias, entre maio a setembro de 2020, e apenas àquelas fraudes contestadas pelas v√≠timas.

Somente com o prosseguimento das investiga√ß√Ķes, observou a PF, ser√° poss√≠vel determinar o montante exato do desvio, bem como a eventual participa√ß√£o de outras pessoas. Os fraudadores responder√£o pelos crimes de furto qualificado mediante fraude, com pena de dois a oito anos de reclus√£o.

Fonte: EBC

Comunicar erro
Revista Atual