Copasa está ampliando capacidade de poço

As obras vão permitir um aumento na produção de água da ordem de 300% em Frutal

Por João Cerino em 24/06/2022 às 11:11:13

Crédito das fotos: Copasa/Divulgação

As intervenções que estão sendo feitas pela Copasa com o propósito de melhorar o abastecimento para os moradores de Frutal e, principalmente, reduzir problemas com a falta de água durante alguns períodos de estiagem no ano estão avaliadas em três milhões. O investimento é para colocar o poço de água quente da cidade em sua capacidade máxima de operação. As intervenções aumentarão a produção de água do poço em 300% em relação ao cenário atual e têm previsão de término para este ano, beneficiando mais de setenta mil pessoas.

A fonte que capta água subterrânea diretamente do Aquífero Guarani, fornece hoje em dia vinte litros por segundo e, com as obras, a capacidade passará para 80 litros por segundo, um aumento diário de mais de 5,1 milhões de litros na produção. Para se ter uma ideia, essa quantidade de água equivale à junção de mais de duas piscinas olímpicas. Atualmente, a empresa capta água no Ribeirão Frutal, que fornece até 160 litros por segundo.

Elenice Louback, gerente regional da Copasa, explicou que o cronograma de obras teve início em fevereiro, quando foi feito o teste de vazão. "É um procedimento para descobrir o volume de água que o poço é capaz de fornecer por um longo período sem que o meio ambiente seja prejudicado. Já estávamos empenhados nas licitações desde outubro de 2020, porém, esses são processos que demandam tempo", disse. Em março deste ano foi escavado o terreno para fazer a base da torre de resfriamento - um equipamento que vai baixar a temperatura da água, que é captada a 52ºC, para 29°C.

A estrutura funciona como um exaustor de cozinha: a água chega quente até ela, que elimina todo o calor necessário para que o líquido seja enviado em temperatura ambiente aos aproximadamente 25.400 imóveis. Em maio teve início o processo de aquisição de aparelhos para as instalações elétricas é, para este mês de junho, a estimativa é que seja montada a torre de resfriamento. Parte do material para executar esta etapa já está em Frutal e a Copasa aguarda a chegada do restante nos próximos dias.

Além disso, também será implantada uma adutora, com uma tubulação de aproximadamente setenta metros e de grande diâmetro - que conduzirá a água até o tanque de contato - estrutura que irá armazenar cloro e flúor para fazer a desinfecção dessa água que, por ser captada em uma grande profundidade do subsolo, não demanda um tratamento convencional na estação da companhia. Por fim, será instalado uma motobomba para puxar a água do subterrâneo até a superfície. Além disso, um equipamento reserva também foi adquirido para assegurar o funcionamento do poço, mesmo em casos de intercorrências eletromecânicas.


Fonte: Imprensa - Copasa

Comunicar erro