Farol

Número de golpes aplicados por redes sociais tem crescido nos últimos anos

A especialização cada vez maior nos golpes ocorre de acordo com a evolução da tecnologia.

Por João Cerino em 10/04/2021 às 11:06:53

O aumento dos golpes aplicados por meios eletrônicos, que fazem milhares de vítimas todos os meses e usam redes sociais e aplicativos como "isca" são alterados constantemente, de acordo com a evolução das tecnologias, pois o objetivo dos estelionatários digitais é aumentar a eficiência dos golpes atraindo e enganando os usuários. Isso faz com que os golpes cresçam significativamente, conforme pesquisa do Laboratório PSafe, especializado em segurança digital.

Um levantamento feito em setembro de 2020 revelou que 473 mil brasileiros foram vítimas de golpes envolvendo o WhatsApp apenas naquele mês, e, de lá para cá, os números só tem crescido. A média é que aproximadamente 15 mil pessoas sejam vítimas deste tipo de golpe por dia. Por isso, uma relação dos golpes mais aplicados atualmente pode ajudar a reconhecer uma situação de risco e se prevenir.


CLONAGEM

É um dos casos que mais ocorrem, permitindo que os criminosos assumam a conta de um indivíduo e apliquem golpes nos contatos das vítimas. Os cibercriminosos usam de manipulação psicológica para induzir alguém a compartilhar dados específicos, como dar informações pessoais, baixar aplicativos falsos ou abrir links que dão acesso ao aparelho.

Os casos mais comuns começam quando os usuários cadastram números de telefone para vender algum item. O criminoso entra em contato com a vítima, informa que houve algum erro no cadastro e pede que seja informado um código enviado por SMS para validar a informação. É o código para cadastro do aplicativo em um smartphone. Se a pessoa informa, o Whatsapp é clonado.


PHISHING

É uma ação mais elaborada, em que se utilizam marcas famosas, com distribuição de brindes e vantagens. As mensagens são disparadas em massa para diversos números e, geralmente, pedem que o usuário clique em um link e preencha um formulário ou instale um aplicativo específico. É com isso que as informações são roubadas ou os aparelhos invadidos. É comum encontrar relatos de promoções falsas envolvendo datas como Páscoa, Dia das Mães e Natal. Por isso, é sempre bom ficar atento quando algumas dessas datas se aproxima. Para evitar ter as informações roubadas, é recomendado que o usuário nunca clique em nenhum link que possa parecer suspeito ou que ofereça muitas vantagens.


CLONAGEM DE SIM

Embora seja menos comum, a clonagem do cartão SIM tem um alto potencial destrutivo para quem for vítima. Isso porque o usuário não terá apenas o seu WhatsApp clonado, mas também tudo o que estiver relacionado ao seu chip. O golpe ocorre porque os criminosos conseguem cadastrar o número da vítima em outro SIM, assumindo o controle em outro aparelho.


CARTÕES E EMPRÉSTIMOS

Esse golpe começa com um envio de mensagens em massa com o objetivo de coletar dados das vítimas se passando por um banco ou fintech oferecendo cartões de crédito sem análise de restrição e com limites bastante altos. Também aparecem ofertas de empréstimos tentadores, com valores elevados e juros baixos. Na assinatura da proposta, vem o golpe: para ter acesso ao dinheiro, é necessário pagar uma taxa de liberação. É aí que as pessoas são enganadas. Mesmo com o dinheiro pago, o valor nunca é depositado na conta.


Fonte: Com informações de Olhar Digital

Comunicar erro
Revista Atual