Golpista engana produtor em venda de trator agrícola

Comprador fez o pagamento, mas intermediador não repassou os valores ao proprietário

Por João Cerino em 07/05/2021 às 15:42:16

Em São Francisco de Sales, na tarde do dia 5, por volta das 17h44, compareceu ao destacamento policial uma vítima alegando que viu um anuncio via Internet pelo Facebook, postado pela página de senhor Cristiano Cher, sobre a venda de um implemento agrícola, que seria um trator da marca Valtra, modelo DM-125-i, no valor de R$ 80.000.00 e, em posse da foto e das informações contidas no anúncio da venda, entrou em contato com o número disponível.

A vítima conta que, pelo número (034) 9.9706-7963, fez contato com o intermediador da venda, que deu o nome de adão Aparecido Guimarães de Freitas, que é ex-cunhado do proprietário do trator. O intermediador, por sua vez, disse a vítima deveria agendar uma visita ao dono do trator para que ele visse de perto o produto e fizesse a compra. Ele viajou de sua cidade, Cachoeira Dourada, que fica no estado do Goiás até o município de São Francisco de Sales, onde estava o trator hora anunciado.

O Reds menciona que o que o dono do trator disse que o equipamento agrícola era uma dívida dele com o ex-cunhado Adão e, por esse motivo, o valor teria que ser depositado na conta dele para que, após o pagamento Adão repassasse a parte de sua dívida para o dono do implemento. Ao chegar no município, procurou pelo proprietário do bem, senhor Marcos Augusto de Queiroz, para que pudesse ver o trator e, assim feito, realizaram o contrato de compra e a vítima fez o depósito do valor em uma conta do banco Itaú, agência 7957 e conta 54.893-1, tendo como beneficiário Everton Lopes Machado.

Essa troca de nomes para receber o depósito, segundo Adão, seria porque seu nome estaria com restrição. Após aguardarem o valor cair na conta de destino, Adão enviou um comprovante de recebimento para Marcos, que, possivelmente é um comprovante falso, da transferência e que a vítima já poderia retirar o trator. Como a parte que cabia ao proprietário não caiu em sua conta, ele não liberou o equipamento. Após isso, o suposto Adão bloqueou a vítima no aplicativo WhatsApp, o que a fez desconfiar do golpe e ir até o destacamento munido de todas as suspeitas, a fim de registrar o ocorrido.

Fonte: Assessoria de Comunicação Organizacional - 4ª Cia PM Ind.

Comunicar erro