Farol

Mitos e Verdades sobre a saúde do homem

O câncer de próstata é o segundo mais comum no homem, perdendo apenas para o de pele

Por João Cerino em 19/11/2021 às 14:03:04

Com a chegada do mês de novembro, surgem várias dúvidas e perguntas sobre câncer de próstata. Por isso, separamos este artigo para falar sobre a saúde do homem. O Novembro Azul é uma campanha que busca conscientizar a respeito da necessidade de prevenção e diagnóstico do câncer de próstata, além da importância de cuidados integrais com a saúde do homem. O câncer de próstata é o segundo mais comum no homem, perdendo apenas para o de pele. É extremamente comum em todo mundo. Ele tem maior prevalência em homens com idade acima de 65 anos.

Então, conversamos com o médico Ali Mustafa Cheik Júnior, urologista do Hospital Santa Clara para falar os mitos e verdades sobre a saúde do homem.


O câncer de próstata sempre provoca sintomas - Mito.

Na fase inicial, o câncer de próstata não apresenta sintomas. Por isso, a importância dos exames preventivos", explica o doutor. Quando o tumor está localizado somente na próstata, o paciente não sente nada. Os sintomas só aparecem quando a doença está em estágio avançado, comprometendo outros órgãos, por exemplo, ossos ou pulmão, ou sintomas locais, como sangramento pela uretra.


A única doença na próstata é o câncer. Mito.

A Hiperplasia Prostática Benigna (HPB) é a doença mais frequente na próstata. Além disso, temos outras doenças, tais como a prostatite que é a inflamação da próstata e tem como sintomas febre, ardência e maior frequência urinária, cujo tratamento é clínico e à base de antibióticos.


Um dos principais fatores de risco para o câncer de pênis é a prática sexual com diferentes parceiras sem o uso de camisinha. Verdade.

Segundo o Instituto Nacional do Câncer, a utilização do preservativo é imprescindível em qualquer relação sexual, pois diminui a chance de transmissão de DST-Doenças Sexualmente Transmissíveis, tais como, o vírus HPV-Papiloma Vírus Humano, que tem sido associado por alguns estudos científicos com o câncer de pênis. "Porém, ainda existe controvérsia se as doenças sexualmente transmissíveis teriam relação direta com câncer de pênis. Este problema estaria mais relacionado a má higiene peniana", relata o médico.


Feridas que surgem e logo desaparecem do pênis não são importantes. Mito.

A sífilis, por exemplo, começa com uma lesão indolor na glande e, com o tempo, internaliza, passando a não responder mais ao tratamento e a quaisquer tipos de pomadas. Portanto, o homem não está curado, mas a doença internalizada estando em um estado mais grave. "Na maioria das vezes, essas lesões penianas de aparecimento e desaparecimento rápidos estão relacionadas ao próprio atrito sexual, infecções fúngicas ou lesões pelo herpes vírus. Tais condições devem ser avaliadas pelo urologista para diagnóstico, tratamento e orientações adequados", orienta o doutor.


O exame de sangue chamado PSA é suficiente para a triagem do câncer de próstata. Mito.

O exame de toque retal ainda é fundamental. Por vezes, o PSA-Antígeno Prostático Específico, que é um exame de sangue, pode acusar índices normais e o paciente já ter desenvolvido a doença e, por isso, não é confiável como única opção de diagnóstico. "O PSA é um exame de sangue utilizado para prevenção do câncer de próstata, que possui grande importância desde o seu surgimento. Porém, na maioria das condições, deve ser acompanhado do exame físico local", diz o especialista.


A incidência de infecção urinária é menor em homens. Verdade.

Os homens realmente apresentam menor incidência de infecção urinária que as mulheres. Essa diferença ocorre devido à distinção da anatomia do trato urinário, pois a uretra feminina é menor que a masculina. Além disso, nas mulheres, o canal da uretra fica muito próximo ao ânus, facilitando o contato de bactérias entre as duas regiões.

Porém, é de extrema importância que o homem visite frequentemente o urologista. O urologista é um médico que cuida do trato urinário de ambos os sexos e das patologias relacionadas ao órgão sexual masculino. Assim como as mulheres vão ao ginecologista para realizar exames periódicos, os homens devem consultar um urologista com frequência, principalmente após os 40 anos.

Fonte: Kompleta Comunicação

Comunicar erro
Revista Atual