Farol

Endereço do Google Argentina ficou nas mãos de jovem por algumas horas, diz jornal

Reportagem do 'Clarin' mostra que argentino Nicolás David Kuroña registrou o domínio 'google.com.ar' e foi dono do endereço por algumas horas

Por João Cerino em 23/04/2021 às 09:59:01

O site do Google na Argentina ficou fora do ar na noite da última quarta-feira, 22. O motivo, segundo o jornal "Clarín', foi uma troca no registro do domínio "google.com.ar". Uma pesquisa no site do Nic Argentina, instituição responsável pelo registro de endereços de sites no país, mostrava que o link tinha mudado de dono e estava cadastrado no nome de Nicolás David Kuroña.

Nas redes sociais, Kuroña disse que "entrou no nic.ar, viu que o nome "google.com.ar" estava disponível" e que "comprou legalmente". Quando os serviços Nic retornou, a busca pelo domínio "google.com.ar" mostrava a propriedade da gigante da tecnologia com data de expiração para 1º de novembro de 2021.

Diante de centenas de perguntas que recebeu no Twitter, o jovem disse que conseguiu comprar a URL do Google Argentina porque "o domínio tinha expirado".

Os jornais "Clarín" e "La Nacion" apontaram que o grupo Open Data Córdoba, dedicado ao monitoramento de domínios na Argentina, indicou que o endereço "google.com.ar" não expirou, mas mudou de mãos: primeiro do Google para Kuroña e depois de volta para o Google. O site do grupo "Open Data Córdoba" mostra alteração de propriedade no domínio google.com.ar em 21 de abril de 2021.

O site do Nic Argentina também ficou fora do ar entre quarta e quinta-feira (22), segundo o site "InfoBae". Quando os serviços do Nic voltaram a funcionar, a busca pelo domínio "google.com.ar" mostrava a propriedade da gigante da tecnologia com data de expiração para 1º de novembro de 2021.

O Google na Argentina também voltou a funcionar nas primeiras horas de quinta. Em comunicado à imprensa local, o Google se limitou a dizer que havia resolvido os problemas no acesso ao site, sem detalhar o caso. "O problema que afetava o acesso ao 'google.com.ar' foi resolvido. Lamentamos os inconvenientes que essa situação possa ter gerado e estamos investigando as causas", disse um porta-voz.

Fonte: G1

Comunicar erro
Revista Atual